terça-feira, 12 de fevereiro de 2013



SOBRE CERTO FOLIÃO DO BLOCO DE SUJOS QUE EM UMA SÓ FODA TEVE DUAS SURPRESAS: UM CU CAGADO E UM PAU MAIOR QUE O SEU.

Manuel caminhava pelo mundo
Quando esbarrou-se na flava sereia
(A qual com muito pó se formoseia)
Foi beijando-a em menos de um segundo.

E sendo um cafajeste e vagabundo
Meter em todo mundo ele queria.
E para augustal dama assim dizia:
Quero comer seu rabo mui rotundo.

Ela lho concedeu venal prazer
Que o beberrão jamais vai esquecer.
De pau borrado, pálido e fraco

Quando se arrependido do que fez.
(Mostrando  adamastórico tabaco)
Ela disse-lhe: agora é minha vez.

 José Luiz Amorim


Nenhum comentário:

Postar um comentário