terça-feira, 7 de agosto de 2012

Se eu trepasse amanhã

Se eu trepasse amanhã, diria ao menos                         Para Álvares de Azevedo
Que fodi pra valer a pulcra irmã,
Ela de mais prazer se sorriria
Se eu trepasse amanhã!

Quanta honra tenho nesse pau duro!
Que xota p'ra bulir nessa manhã!
Eu metera pilando essas coroas
Se eu trepasse amanhã!

Que cabelos! que pernas! São de Dalva!
Mas recordam a Teresa no Divã!
Não me pulsara muito amor no leito
Se eu trepasse amanhã!

Mas o calor da vida revigora,
Minha demência é a da maçã,
E o ardor no leite aquecera ao menos
Se eu trepasse amanhã!

Nenhum comentário:

Postar um comentário